• 17 JAN 20
    • 2
    VERDADES E MENTIRAS

    VERDADES E MENTIRAS

    Todos nós que temos Esclerose Múltipla sabemos que somos iguais e ao mesmo tempo diferentes, como assim? Ora, temos a mesma patologia, mas ela se manifesta diferentemente em cada um de nós. Então é verdade que somos iguais por termos a mesma patologia, como também é mentira que sentimos as mesmas coisas e temos as mesmas sequelas.

    Outro dia estava vendo num grupo do Facebook de Pessoas dom esclerose Múltipla e uma pessoa perguntou  no geral: “como começoua E.M., quais os sintomas?”. Vi que algumas pessoas se aventuraram a responder, mas eu nem tentei, pois são tantas coisas e tão diferentes.

    Tudo isso me levou a uma reflexão: se somos tão diferentes, como alguns, inclusie médicos, podem afirmar que nosso destino líquido e certo, é esse ou aquele, como por exemplo, ficar numa cadeira ou depender de um andador. A verdade é que não há como saber.

    Algumas pessoas tem visão dupla, confesso que nunca tive, outras, dor no nervo trigêmeo, também nunca tive, mas tenho constantes dores nas pernas, coisa que a maioria das pessoas que conheço dizem não ter e não sentir.

    Então, se nossos sintomas e sequelas são diferentes porque ficar tentando adivinhar como estaremos daqui a algum tempo, a verdade é que não sabemos, o que sabemos e o que realmente podemos afirmar é se a patologia está estável, se não apareceram mais inflamações, se não surgiram surtos…

    Não soframos por antecipação, nem por expectativas de algo que poderá a simplesmente não acontecer. Vamos viver o hoje e pensar sempre: “o que posso fazer para melhorar, para me sentir melhor?”.

    Saber que temos uma doença que não tem cura é complicado e frustrante, pois você sabe que nenhum remédio ou tratamento poderá curá-lo, não com as drogas e tratamentos que temos disponíveis hoje pela medicina.

    Quando recebi o diagnóstico, há onze anos atrás, fiz uma série de projeções negativas, mas com o tempo percebi que isso era inútil e muito desgastante, então comecei a pensar o que posso fazer para me sentir melhor, ativa e continuar a viver bem e sonhar.

    Felizmente estou estável e desde que inicei o tratamento não apareceu mais nenhuma lesão, nunca tive um surto depois disso, mas tive de aceitar e aprender a me locomover com um andador. Demorei para aceitar essa condição, ganhei muitos tombos e pontos, mas hoje posso dizer que consigo manter minha independência, no que diz respeito à locomoção e ainda consigo sonhar, vivendo da melhor forma possível.

    Infelizmente tive que me aposentar, mas procuro ser uma pessoa ativa e manter-me bem, afinal ainda tenho uma filha de oito anos para educar…

    Lembra o que eu disse de não parar de sonhar e viver, pois é ela nasceu depois de quatro anos do meu diagnóstico. Sempre tive o sonho de ser mãe e a E. M. Não conseguiu me tirar isso. Acreditei que poderia ser e sou, com muito orgulho.

    Lembrem-se temos Esclerose Múltipla, mas ela não nos tem, somos livres…

    Leave a reply →
  • Posted by Clazwork on 28 de janeiro de 2020, 06:38

    Very useful I’m marvel why the other expert of this part do not become alert of this. You should come first your writing. I am sure, you’ve an huge readers’ base already! It’s suitable time to make some plans for the view and it is time to be happy. I have read this post. Maybe you maybe will write next articles referring to this article.

    Reply →
  • Posted by Livia on 28 de janeiro de 2020, 22:53

    De todas as mensagens que já li até o momento, até mesmo das conversas com outros indivíduos portadores da EM, sem dúvidas, foi a melhor e mais realista de todas. Sempre estamos querendo comparar o nosso momentos de surtos com os demais, além de criar e projetar o surtos dos outros para nós. Mas de fato o que sabemos é que somos portadores da mesma patologia, porém com sua diferenças. Ao invés de nos compararmos, acredito que o melhor a se fazer é seguir em frente, sem medo e com muita fé e positividade. Um dia de cada vez e todos venceremos.

    Reply →

Leave a reply

Cancel reply