• 25 OUT 19
    • 23
    Tudo é uma questão de bom senso e o shortinho

    Tudo é uma questão de bom senso e o shortinho

    Amigos (as):

    Eu poderia escrever bonitas dissertações (digo bonitas, não boas, porque aí só dependo do padrão estético para me julgar).Muitos textos, palavras sobre o que eu penso ou sobre o que outras pessoas pensam.

    Talvez o shortinho bem curto da menina  tenha me  induzido a fazer essa observação. Talvez  estivesse inadequado a um ambiente hospitalar? Pode ser. Meu puritanismo resolveu dar as caras e implicar com o shortinho, e me fez refletir nesse nosso espaço para reflexão.

    Não se importem com minha implicância com o shortinho, porque já passou, nem conheço a menina, nem suas razões, e além do que quem paga as contas da menina pode ser ela mesmo; ela não deve satisfação a ninguém, só a ela própria.

    Considerando isso tudo, fiquei com vontade de escrever sobre o bom senso.

    Tudo tem uma medida mediana, que é boa para todos ou ruim para todos os lados.

    Não é um apelo conciliatório, mas uma busca para nossa angústia polarizadora.

    “Bom senso existe e é o que devemos e queremos esperar de nossos iguais”

    Como diria um ditado “nem oito, nem oitenta”;  mas, também não é o meio que buscamos; e sim  em determinada situação :- pensar  a melhor proposta . Seja qual for a situação, há um determinado comportamento que mostra sanidade e sensatez.

    Exemplo: eu sou bióloga,  meus amigos são de todas posições ideológicas em relação  ao  meio ambiente. Se eu não quiser provocar a terceira guerra mundial, nem recolher mortos ou feridos- terei o bom senso de convidar um amigo de cada vez;  mas não necessariamente, dependendo do meu objetivo  e se eu quiser promover um debate saudável, onde o importante é o diferente.

    Apenas para dizer que usar o bom senso, depende também dos objetivos.

    O caso do shortinho, o bom senso diria é adequado ao ambiente? Depende do objetivo da menin: se é só procurar tratamento para doença, se ela se sente mais arejada ou  se quer provocar olhares ou ainda nenhuma das alternativas.

    O que seu bom senso diz? O que você quer? Qual seu objetivo?  Meu bom senso comum é parar de escrever agora e deixar você pensando.

    Parafraseando George Orwell , João Pereira Coutinho em sua coluna fala : “todas as vítimas são iguais, mas algumas são mais iguais que as outras.”   – Eu não sabia que a dor de um pai tinha intensidade. Folha de São Paulo -24/09/19

    Leave a reply →
  • Posted by José Carlos on 25 de outubro de 2019, 20:21

    Querida RE, excelente!
    Beijinhos!!!!!!!!!

    Reply →
  • Posted by José Carlos on 25 de outubro de 2019, 20:21

    Querida RE, excelente!
    Beijinhos!!!!!!!!!

    Reply →
  • Posted by Cleri Conceição Penedo on 25 de outubro de 2019, 20:36

    Penso que vivemos um momento turbulento em todos sentidos. Fomos é estamos sendo bombardeados por uma mudança de cultura, hábitos modo de viver, de pensar, até me atrevo em dizer se pensam. Para você, para nós o shortinho é uma blasfêmia em um lugar não adequado, mas acabou o discernimento, não existe mais lugar, momento adequado, ou querem que pensemos assim.Voltar às origens,? há tempo de resgate? O shortinho é desse momento? Paramos no tempo? O shortinho ficou. Como sempre Boa reflexão minha colega Regina bj.

    Reply →
  • Posted by Conceição Cozzetto on 25 de outubro de 2019, 20:42

    Minha amada amiga .
    Estou muito feliz em ver seus escritos.
    A questão é polêmica mas sou a favor do bom senso , hospital não é lugar para aquele shortinho mas enfim como você disse não vamos criar confusão.
    O mais importante é ver você escrevendo seja do quer for é maravilhoso continue, fico aqui ansiosa para a próxima .Do que será ?
    O tema não importa . Continue .

    Reply →
  • Posted by Sheilla on 25 de outubro de 2019, 20:58

    O que falar da nova geração , tudo é permissível , e a palavra bom senso , não faz parte!! Refletir !!
    Amiga está difícil !!!
    Abraços!!

    Reply →

Leave a reply

Cancel reply