• 04 AGO 17
    • 1
    Respeito

    Respeito

    No fim deste mês comemoramos o Dia Nacional de Conscientização da Esclerose Múltipla. Vale lembrar que apesar de alguns anos já comemorando a data, ainda temos muito a fazer, a lutar em busca de direitos, de reconhecimento e respeito.

    É fundamental termos respeito de toda a sociedade, governo e familiares. Essa patologia, como o próprio o nome diz é múltipla, por isso apresentasse diferente em cada indivíduo.

    Somos muitos e diferentes. Alguns de nós não precisam de nenhum apoio para caminhar, outros, no entanto, precisam de cadeira de rodas, andador, muletas, bengala e ainda há aqueles que passam por surtos e ficam literalmente paralisados, sem os movimentos, sem visão etc.

    Difícil fazer com que o outro entenda a patologia que nos acomete, pois somos diferentes. Não existe regra para as sequelas deixadas pelos surtos e pelas crises.

    Uma realidade é a fadiga, que nos aflige, na maioria dos casos, nos deixa sem forças para realizarmos tarefas simples do dia-a-dia.

    Costumo dizer que as minhas pernas vão acabando, deixando-me sem forças para caminhar. Infelizmente isso ocorre com a maioria de nós.

    Muitas vezes os outros acabam nos taxando de preguiçosos e sedentários, Impossível saber ao certo a dor do outro ou sua limitação, por isso é fundamental haver respeito,

    Não adianta campanhas de esclarecimento e conscientização, se não existir respeito. Esse é o requisito essencial para convivermos.

    O princípio do respeito é fundamental para vivermos bem e em paz. Já ouvi alguém dizer que se trata de caridade deixar pessoas com deficiência utilizar o caixa eletrônico destinado a elas ou vagas de estacionamento demarcadas especialmente para pessoas nessa condição. Entendo não se trata de caridade e sim de respeito.

    Trata-se de respeitar a condição do outro e garantir que ele tenha acesso e direitos como todos os cidadãos. Essas medidas podem, a princípio, parecer concessão de privilégio, mas trata-se apenas de garantir que pessoas em condições adversas tenham o mesmo direito que a maioria das pessoas.

    Creio que esse é o único caminho para conquistarmos o reconhecimento e tratamento adequados. Não interessa que tipo de problema você tem, pode ser uma patologia que trás limitações, como a esclerose múltipla, o fato é que todos, sem exceção, merecem e precisam ser tratados com respeito.

    Leave a reply →
  • Posted by Regina Mimura on 4 de agosto de 2017, 13:25

    Falou tudo Dani, respeito, deve ser a palavra e a atitude.

    Reply →

Leave a reply

Cancel reply