Esclerose Múltipla

O que é Esclerose Múltipla? A esclerose múltipla (EM) é uma doença crônica do sistema nervoso central que afeta o cérebro e a medula espinhal e que interfere na capacidade do cérebro e da medula espinhal para controlar funções, como caminhar, enxergar, falar, urinar e outras. A ABEM estima que, atualmente 35 mil brasileiros são

O que é Esclerose Múltipla?

A Esclerose Múltipla é uma das doenças mais comuns em adultos jovens que compromete o SNC (Sistema Nervoso Central) constituído por cérebro, cerebelo, tronco encefálico e medula espinhal. De causa ainda desconhecida, foi descrita, inicialmente, em 1868, pelo neurologista francês Jean Martin Charcot, que a denominou “Esclerose em Placas”, descrevendo áreas circunscritas endurecidas que encontrou

Quais as Causas da E.M.

Até o momento a causa é desconhecida. Nas pesquisas, amplos esforços são dirigidos ao estudo do indivíduo portador, como também do ambiente onde vive. A deterioração da mielina é provavelmente mediada pelo sistema imunológico em indivíduos geneticamente predispostos, o que resulta em um ataque maciço ao próprio tecido nervoso, isto é, uma resposta auto-imune. Ainda

Quais são os possíveis sintomas?

Não existe um padrão definido como o ideal para a EM. Cada paciente possui o seu tipo peculiar de manifestação da doença e cada pessoa com EM terá o seu conjunto de sinais e sintomas. Estes sintomas podem mudar ao longo do tempo. Mas os sintomas se correlacionam com o comprometimento da mielina e ou

Como é diagnosticada?

Os sintomas podem ser brandos ou pouco perceptíveis, o que faz com que a pessoa sequer procure o médico, ou seja, pouco valorizado inicialmente. Outras doenças do sistema nervoso podem provocar sintomas similares aos da Esclerose Múltipla dificultando o diagnóstico. O profissional mais indicado para diagnosticar a EM é o neurologista. O diagnóstico deve estar

Como é tratada?

Embora sem cura no momento, os tratamentos oferecidos buscam reduzir a atividade inflamatória e os surtos ao longo dos anos contribuindo para a redução do acúmulo de incapacidade durante a vida do indivíduo. Além do foco na doença, tratar os sintomas como os urinários, fadiga é muito importante para qualidade de vida do paciente. A

Quem pode desenvolver?

No Brasil a prevalência é em média de 18/100.000 pessoas. Quanto mais distante da linha do equador, ou seja, maior latitude, maior a prevalência. No Canadá, por exemplo, em média 135 / 100.000 habitantes. É uma doença que acomete adultos jovens, principalmente mulheres na proporção 2:1, e hoje já se vê trabalhos referindo 3: 1

Tem dúvidas, suspeita?

A dúvida Se existe a “suspeita” de estar com esclerose múltipla, a primeira coisa a ser feita é buscar esclarecer o diagnóstico. Deve-se então, procurar um médico neurologista, que é o profissional mais adequado a investigar e tratar pacientes com a doença. Existe uma série de doenças inflamatórias, infecciosas, que podem ter sintomas semelhantes ao

Opções de tratamento

Embora não exista a cura para a Esclerose Múltipla, há tratamentos que visam reduzir surtos e assim o acúmulo de incapacidade com o tempo. A definição da melhor terapia depende da forma de manifestação da EM. A indicação é feita pelo neurologista. Quanto antes iniciar o tratamento pode-se: ■ Reduzir a inflamação; ■ Reduzir a

Suporte da família

Quando uma pessoa da família recebe um diagnóstico de Esclerose Múltipla, toda a família será afetada. A EM traz mudanças que pode ser estressante para toda a família. Abaixo estão algumas dicas que podem ajudar a sua família os desafios do tempo, trabalham juntos e ainda se divertir. Manter uma alimentação saudável, ambiente familiar favorável