Os sinais que a vida nos traz

Oi pessoal, leitores desse blog, o qual nós escrevemos regularmente assunto do agrado de vocês.   Hoje vou falar sobre os sinais que a vida nos traz. Alguns de vocês já leram sobre esse assunto. Podem chamar de sexto sentido, premonição, ou talvez de sensibilidade.   Sabe quando encontramos pessoas que temos certeza que já

Bora seguir com a vida

Oi! Como jornalista, eu sei que tenho que informar o leitor sobre o que aconteceu comigo há pouco mais de dez dias, até porque se trata de um serviço público. Roubaram a minha cadeira de rodas motorizada, seminova, que estava à venda! Ou, não sei se é pior, de livre e espontânea vontade eu entreguei

Rir ou enlouquecer

Caro(a) leitor(a ) A probabilidade de escrever bobagens  é grande, mas procuro com alguma força e esforço, não cometer esses deslizes. Rir das situações engraçadas é fácil , necessário, fisiológico; mas quero falar de rir de nossas dificuldades, de situações de aperto, de desespero. Não me refiro a “marcar bobeira” . Digo, a partir de uma

Tocando em frente

Oi! Hoje eu quero falar sobre acessibilidade, esta palavra que, nos últimos anos, acabou se tornando um dos assuntos mais comentados na mídia para chamar a atenção sobre o direito de ir e vir dos deficientes, que desejam levar a sua vida sem precisar enfrentar mais dificuldades e obstáculos do que a maioria da população.

Fabricação de kits

Pensei nisso, numa madrugada insone: geralmente, é isso que acontece com escritores amadores como eu; mas retornando ao assunto… O que vocês acham de kits para sobrevivermos no dia de hoje? Tem o kit sobrevivência meteorológica na cidade de São Paulo: guarda chuva, agasalho e garrafinha de água para dias para lá de secos. O

Praticando o desapego

Solte -se, entregue – se deixe ir, partir, fluir… Viver no presente sem o peso do passado sem expectativa para o futuro.  Livre-se de roupas guardadas e sapatos em caixas , coisas que já saíram de moda. Doe o que não  te serve mais, alguém vai precisar mais que você. Deixe fluir, solte o que

Escolhendo o que é melhor pra mim!

Oi! Acho que tem muita gente que já me conhece na ABEM, o que eu não tenho tanta certeza é se todo mundo sabe que eu sou jornalista (aposentada). Por isso a Regina vivia me convidando para escrever para o blog, mas eu tinha uma pre-gui-ça… Agora que assumi este compromisso, eu gostaria de compartilhar

Contar ou não?

Minha leitura do editorial da Folha de São Paulo, de 15 de julho, intitulado “Tremores de Merkel” me inspirou a escrever algumas palavras. É fato que Angela Merkel , chanceler da Alemanha, tenha tremido na cerimônia de boas-vindas ao presidente da Ucrânia. Tremeu também em outras cerimônias oficiais e embora tenha repetido muitas vezes que

Minha primeira vez

Aposto caros leitores que tenham dado uma conotação sexual ao  título desse texto, mas não se trata de nada disso. Esse texto foi escrito em conjunto, eu e minha amiga Lucyara o escrevemos. Na verdade ela é a dona da aventura e a descreve abaixo: “A primeira vez que eu me aventurei a pegar um ônibus

Professor

Sou professora com muito orgulho, na minha família é uma profissão herdada. Sim, digo herdada, e parece ser genética (kkkkkk) , brincadeiras à parte. Resolvi escrever com esse título porque senti uma necessidade extrema em  minha alma . Professor tem formação formal para exercer uma profissão, mestre é aquele com título académico de Mestrado, elaborou