MEIO SÉCULO

Nasci no dia das mães. Disseram que era uma noite muita fria. Foi no dia 14 de maio de 1967, na cidade de Curitiba. Há exatos 50 anos. Mesmo nascendo em Curitiba, fui registrado na cidade de São Paulo, ou seja, tenho dupla cidadania, é uma brincadeira que falo quando conto essa história, meus pais

Meu lugar

Eis a questão. E depois do diagnóstico de Esclerose Múltipla e depois da aposentadoria por invalidez, o que fazer? O que posso fazer? Essas questões estão me atormentando atualmente. É verdade que já escrevi um livro, que fiz cursos voltados para área de estética, mas ainda não encontrei uma atividade de me complete, que me

Sou Mãe

Há quase dez anos atrás quando recebi o diagnóstico de Esclerose Múltipla, a primeira pergunta que fiz ao médico foi: “posso ter filho?” e ele respondeu: “pode, só recomendo que não tenha mais do que seis, pois dá muito trabalho”. Quando recebi o diagnóstico não tinha filho, mas tinha muita vontade de ter, por isso

PEQUENOS MOVIMENTOS

Nossos primeiros passos. Quando aprendemos a andar, sempre tem alguém por trás de nossos movimentos ainda cambaleantes, mas com um sorriso no rosto, existe sempre alguém do outro lado esperando para pegar você. Lembro sempre com alegria de ver minha irmã dar seus primeiros passos e foi comigo na casa de uns amigos de meus

SOZINHO

SOZINHO? Nunca. Pense agora mesmo em algum lugar que gostaria de estar ou conhecer, mesmo que levasse algum tempo para conseguir ir. Pense em algum desejo de aprender alguma coisa nova ou algum desejo que por anos está dentro de você e por algum motivo ou por alguma escolha em sua vida, teve que abortar

Resolver!

Muitas vezes sinto que ando para trás, como se fosse retrocedendo na minha jornada, na vida. Comecei a pensar o porquê disso e cheguei a uma conclusão: as coisas que vão e voltam, certamente, ainda não estão resolvidas, portanto, ainda não fazem parte do passado. Então o remédio é resolvê-las, mesmo não sendo tão fáceis.

RAÍZES

Subir em uma árvore, quando criança era uma das minhas especialidades e fascínio. Tive muitas oportunidades nesse período da minha vida. Morei em uma casa em Santa Felicidade, um bairro típico de Curitiba, da qual tínhamos três delas; dois pessegueiros e uma Figueira, a minha predileta. Era a mais difícil de escalar, mas a que

A PÁSCOA

Olá amigos e leitores, tudo bem com vocês? Esse é o final de semana da Páscoa, onde não só o coelhinho vem encher os lares de Ovos de Páscoa, mas também os Cristãos comemoram a Ressurreição de Cristo! Claro que é um tema cheio de discussões cabíveis! Mas não estou aqui para questionar nada passado

O RETORNO

Escaladores desafiam suas montanhas. Viajantes suas estradas. Analisam suas vias, seus caminhos, suas dificuldades, seus riscos, seus mapas, suas passagens, seus apoios, seus equipamentos, seus planejamentos.   Olham em volta, contam com suas equipes e seus parceiros, acreditam na sua força e nos seus sonhos. Enquanto caminham para seus objetivos, observam a natureza e também

VIVER!

Viver não é tarefa fácil, mas quem disse que seria? Conviver com diversidades e adversidades realmente requer muita paciência, tolerância, amor, respeito e verdade. Acredito que o primeiro passo é admitir, somos diferentes, cada um é uma pessoa com pensamentos, sentimentos e vontades próprias. Sendo assim, para conseguirmos viver em sociedade só com regras e