Aceitar e Superar

No momento do diagnóstico da Esclerose Múltipla levamos aquele choque e depois entramos num processo de negação e de aceitação, que muitas vezes é doloroso e demorado. Junto com esses sentimentos vem também revolta e inevitavelmente a pergunta: “por que comigo? Por que eu? Depois de quase dez anos de diagnóstico confesso que sempre estou

Diferentes !

  A única certeza que temos na vida é que somos diferentes. Um lado do nosso corpo não é igual ao outro, os dedos das mãos não são iguais, portanto, fácil concluir que nenhum ser humano é igual ao outro. Outra fácil constatação é que cada um de nós pacientes com esclerose múltipla é diferente,

Não passa!

A vida é cheia de surpresas. Quando pensamos que já vimos ou vivemos tudo o que há se ver e viver, vem um acontecimento novo inédito. É exatamente o que sinto com relação à esclerose múltipla. Cada dia é diferente. Existem dias que estou com a disposição de fazer um triátlon, enquanto que em outros

O sol sempre aparece

A noite pode ser escura, sem estrelas ou com o brilho da lua encoberto, mas sempre há a certeza que o dia vai clarear, mesmo com o sol encoberto de nuvens e aí está a magia. O dia sempre vem e com ele a certeza de que podemos começar algo novo ou recomeçar um projeto

Altos e baixos

Depois de quase dez anos do diagnóstico aprendi que a esclerose múltipla tem várias facetas. Tem dias que me sinto ótima, outros dias aparecem: as vertigens, os formigamentos, as dores de cabeça e nas pernas, impedindo que faça coisas comuns como ir ao banco, a fisioterapia, à escola, em fim coisas rotineiras. Acrescente a isso

Sozinho

Essa é uma constatação: sempre estamos sós. Não importa se moramos com familiares, marido, mulher, filhos. Quando colocamos a cabeça no travesseiro, quando nos recolhemos, estamos sós, com nossos pensamentos, planos, realizações, decepções, angústia e tudo o mais. Por isso façamos essa reflexão: o que nos resta quando estamos a sós? Creio que seja saborear

Respeito

No fim deste mês comemoramos o Dia Nacional de Conscientização da Esclerose Múltipla. Vale lembrar que apesar de alguns anos já comemorando a data, ainda temos muito a fazer, a lutar em busca de direitos, de reconhecimento e respeito. É fundamental termos respeito de toda a sociedade, governo e familiares. Essa patologia, como o próprio

Crescer!

Dia desses fiz uma reflexão: estou chorando menos… Por que será? Problemas existem sempre, mas aquilo que me desequilibrava facilmente, emocionalmente falando, agora não consegue mais. Não que eu tenha me tornado a mulher maravilha ou uma super heroína qualquer, o fato é que cresci, amadureci. O passar do tempo nos traz força e sabedoria,

Sonhos

Hoje não falarei de solidão, mas farei uma reflexão sobre enfrentamento, encarar a vida. Por mais duro que pareça é assim que estamos: sozinhos. Podemos estar rodeados de pessoas, no trabalho, na escola ou em casa, mas quando colocamos a cabeça no travesseiro, o que nos resta são os pensamentos, os sonhos. Estar sozinho, não

Sobre Viver

E depois? Depois do diagnóstico, depois da medicação, depois da internação… O que fazer depois disso? Essa é pergunta que não quer calar. Tenho pensado insistentemente nisso… Tenho escrito sobre isso sempre, mas é uma questão que está me incomodando… Há quase dez anos recebi o diagnóstico de Esclerose Múltipla. No início demorei a assimilar