• 27 MAR 17
    • 1
    NEUROMIELITE ÓPTICA

    NEUROMIELITE ÓPTICA

    ESTUDO DE CASO: PERFIL PSICOLÓGICO DE PACIENTES COM NEUROMIELITE ÓPTICA

    A neuromielite óptica (NMO) é uma doença rara, crônica, inflamatória e autoimune, em que o sistema imunitário ataca a proteína das células do sistema nervoso chamada aquaporina 4, no nervo óptico (neurite óptica) e na espinal medula (mielite). Objetivo: Levantar perfil psicológico de pacientes com NMO, em estudo piloto. Método: Estudo observacional de resultado de testes psicológicos para avaliação cognitiva e de personalidade com a Pirâmide Colorida de Pfister (TPC) e Baterial Fatorial de Personalidade (BFP), de habilidades sociais (IHS), em 5 mulheres com NMO, faixa etária entre 31 e 45 anos. Resultado: O teste BFP detectou como ponto comum a rigidez no seguir normas; no teste IHS tem como ponto comum a capacidade de enfrentamento diminuída e no teste TPC o ponto comum foi a preservação cognitiva, 100% tiveram predominância no uso da cor azul que caracteriza adaptação e controle, 100% de ausência de cinza que caracteriza baixa ansiedade e de insegurança; baixa presença de preto, marrom, amarelo e laranja que indicam disposição para descargas emocionais e produtividade. Conclusão: O perfil dos pacientes com NMO demonstram que as pacientes possuem um meio de descarga emocional que talvez as possibilite adaptação e controle, mesmo frente a diminuída capacidade de enfrentamento.

    Leave a reply →
  • Posted by Rafaela on 16 de abril de 2017, 15:54

    Boa tarde, tenho 18 anos e a 7 anos e meio convivo com a NMO, e apenas 2 anos tive o diagnostico. Nesse tempo todo superei a mim mesma, mesmo tendo 3 sustos, sendo que dois graves e um levemente, não houve um dano psicológico na qual foi uma das principais causas de uma adaptação, aceitação, fortalecimento para que todo o tratamento tivesse digamos que 98% de eficácia de muitos que me verem não notarem sequer nenhuma sequela, apenas aqueles que conviveram comigo nesse periodo perceberem minha evolução, (a idade ajuda muito sim), mas hoje nem eu mesma acredito o quanto superei e venci o meu passado.

    Reply →

Leave a reply

Cancel reply