• 20 OUT 17
    • 8
    Homenagem à família

    Homenagem à família

    Seguindo  algumas solicitações, tentarei escrever sobre a família e a participação na vida de quebradinhos ou não.

    Primeiramente, queria fugir dos clichês do que se escreve sobre família, mas, reparei que é muito difícil. A família é um  grupo de pessoas que habitam o mesmo teto; um grupo de pessoas com ancestralidade comum. Ou o que todo mundo fala: “tijolo” da sociedade, essencial na formação do indivíduo, mas além de tudo isso a família clama a dinâmica da vida da pessoa…

    Há as famílias tradicionais: mamãe, papai, titia… Há aquelas pouco tradicionais, mas marcadas pelo mesmo amor e compromisso mútuo. Há aquelas em que não há ancestralidade comum, os amigos.

    Sabemos, também, que cada família é marcada por sua “loucura” e que mudando de endereço elas também se “parecem”

    Deixando as definições e elucubrações a respeito do papel por que a família na vida de um quebradinho é tão importante? Por que na vida de qualquer um ela é importante?

    Como já mencionei em textos anteriores, a humanidade se complementa, em sermos integrantes de uma família. Explico-me: a família sente como o quebradinho; revolta, tristeza, incerteza e insegurança com o diagnóstico. Sente sua decepção perante a falha terapêutica, a esperança pelo remédio novo. Mobiliza-se ou não no enfrentamento da doença; acompanha cada consulta médica ou abandona ao bel-prazer ser doente.

    Enfim, o fato é ela está implicada  e implicante com toda doença.

    Mais preocupada ou menos, ela vive a enfermidade aos trancos e barrancos ou com sobriedade.

    Se ela é ausente, cabe a nós perdoá-la por ser tão humana. Se ela é presente nos mais diferentes graus, cabe a nós homenageá-la por tanta coragem, por tomar para si a responsabilidade.

    Família é família, nem precisa aprovar ou compreender, basta chamá-la de sua. Afinal faz parte de nossa humanidade.

     

    Leave a reply →
  • Posted by Deborah Yara Alves Cursino dos Santos on 20 de outubro de 2017, 15:46

    É isso mesmo, Re…. família é família. Todas com suas benesses e com seus ônus…. simples assim!

    Reply →
  • Posted by Terezinha on 20 de outubro de 2017, 18:46

    Gostei da abordagem: dos "ônus e bônus " .

    Reply →
  • Posted by Eliane lopes sanches on 20 de outubro de 2017, 21:27

    Bela mensagem. Família a gente não escolhe. Diferente de amigo.
    Mas a família é o esteio de nossa vida

    Reply →
  • Posted by Maria Rita Esteves Martins on 21 de outubro de 2017, 21:22

    Vc.disse tudo e eu adoro a nossa quebradinha linda. Beijão

    Reply →
  • Posted by Hilda Sano on 22 de outubro de 2017, 10:16


    Sempre é muito bom ler suas publicações! Gosto do seu modo de abordar os temas propostos!
    É envolvente!
    Bjs

    Reply →

Leave a reply

Cancel reply