• 15 MAIO 17
    • 0
    A espiritualidade na qualidade de vida de familiares de pacientes com esclerose múltipla

    A espiritualidade na qualidade de vida de familiares de pacientes com esclerose múltipla

    A espiritualidade na qualidade de vida de familiares de pacientes com esclerose múltipla

     

    Daniele Batista de Sousa; Priscila Da Silva Santos; Beatriz Maciel Sodré; Thais Mira Simandi; Lucas Felipe Ribeiro dos Santos; Ana Maria Canzonieri

     

    Introdução: A esclerose múltipla (EM) é uma doença crônica e desmielinizante do sistema nervoso central, que pode ocasionar alterações funcionais ou incapacitantes. A pessoa acometida, em alguns casos necessita de apoio para desempenhar tarefas domésticas, cuidados pessoais, higiene, alimentação, entre outros. Objetivo: Avaliar a influência da espiritualidade na qualidade de vida de familiares de pacientes com EM. Método: Estudo realizado com 137 familiares, sendo 39% homens e 61% mulheres, com idades entre 17 e 86 anos, que acompanharam pacientes com EM, em Organização Social Civil, São Paulo – Brasil, em 2016, para coleta de dados sobre a espiritualidade, por meio de escala de avaliação especifica. Resultado: Predominância de 53% de pessoas com mais de 50 anos, 35% com nível superior de escolaridade e 49% católicos. Ao serem questionados se as crenças espirituais/religiosas dão sentido à vida 62% estão plenamente de acordo, quanto a fé e crenças darem forças nos momentos difíceis, 76% estão plenamente de acordo, 63% estão plenamente de acordo em ver o futuro com esperança, 45% concordam que sua vida mudou para melhor e 69% estão plenamente de acordo que aprenderam a dar valor às pequenas coisas da vida. Conclusão: A maioria dos respondentes tem influências positivas de sua espiritualidade, o que pode contribuir para a qualidade de vida e ser auxiliador do paciente no enfrentamento da doença. A predominância é de familiares e cuidadores que, por meio de sua fé e crenças, conseguem enfrentar a EM e ver o futuro com esperança, dando valor as pequenas coisas da vida.

    Leave a reply →

Leave a reply

Cancel reply