• 20 JUL 18
    • 11
    NEURÓTICA

    NEURÓTICA

    Segundo o dicionário: “Neurose é um quadro psiquiátrico que caracteriza-se por dificuldades de adaptação por parte do indivíduo, embora este seja capaz de trabalhar, estudar, envolver-se emocionalmente e estar bem entrosado com a realidade. Uma pessoa neurótica está permanentemente em conflitos psíquicos que a impedem de aproveitar a existência de forma prazerosa.”

    Interessante essa definição, Ultimamente estou neurótica, mas um pouco diferente do que diz a definição acima, pois na verdade estou com neurite ótica, logo, fazendo a junção das palavras NEURÓTICA.

    A neurite ótica nesse caso é uma sequela da Esclerose Múltipla, que no meu caso deixou-me com uma lesão no nervo ótico.

    Essa lesão causa dores de cabeça, enxaqueca e intolerância à luminosidade. Ontem tive um episódio desses, não conseguia ficar na luz, passei o dia deitada, tomando remédio com um tapa olhos.

    Admitindo que ainda não estou cem por cento. A cabeça ainda está dolorida, e a visão fica turva às vezes.

    Sabe aquela sensação de ressaca, é exatamente assim que estou me sentindo hoje.

    A vida não apara e o tempo não para, por esta razão cá estou eu tentando executar minhas tarefas e cumprir meus compromissos.

    A Esclerose Múltipla não pode e não vai me dominar, tampouco parar minha vida. Vou brigando com ela, não desisto, essa não é uma opção válida.

    Dias melhores, dias piores, mas dias de luta e de resistência. A Esclerose não me tem, nem me domina. Há dias em que preciso parar para me refazer e reiniciar, mas desistir ou parar jamais.

    Todos nós que sofremos com essa patologia temos nossos altos e baixos, mas não podemos e não devemos “jogar a toalha” por conta disso.

    Mas pensando bem, quem nessa vida não tem altos e baixos. Nesse aspecto não somos diferentes de ninguém. Quer dizer todos somos diferentes, mas todos passamos por dificuldades e momentos bons e ruins.

    Quanto mais o tempo passa, percebo que vou me conhecendo mais e enxergando melhor minhas dificuldades e até limitações e por esta razão é que entendo que existem horas que é melhor parar, repousar e melhorar, para depois continuar com as atividades normais da vida.

    Não adianta querer brigar ou guerrear com a Esclerose Múltipla, pois isso afeta nosso emocional e piora nossa condição física. Andar com ela e levá-la, sem deixar que ela nos domine, essa creio ser a melhor solução, pelo menos a meu ver.

    Não sou a dona da verdade, nem pretendo, cada um de nós tem sua própria maneira de lidar com as dificuldades da patologia, mas deixo aqui minha opinião, quem sabe alguém se identifique e consiga de alguma forma lidar melhor com essas questóes da patologia.

    O importante é não se deixar dominar pelos problemas ocasionados pela Esclerose Múltipla, estar no controle de nossas vidas, nossas ações e emoções é essencial para nossa saúde e bem estar.

    FIQUEMOS EM PAZ E BEM!

    Leave a reply →

Leave a reply

Cancel reply